10 Sobremesas portuguesas para “enfiar o pé na jaca”!

Já pensou em replicar as receitas de sobremesas portuguesas mais famosas dentro de casa? Não? Então, corre aqui e confere as nossas dicas de lamber os dedos. (E não pensem bobagem…)

Vale a pena explicar que a expressão “enfiar o pé na jaca” é literalmente fazer aquele estrago na dieta. Ou seja, fugiu do controlo, controle, control…

Vocês sabem que amamos falar sobre viagem e compartilhar as nossas principais descobertas e descontos. Tudo que é dica para vocês aproveitarem ao máximo e se possível gastando pouco. A melhor parte não é mesmo?

Pois é, quando falamos em dinheiro a circular dentro do universo do turismo, uma grande fatia da torta é representada pela nossa queridinha gastronomia!
A parte mais saborosa desse blog e que se você não dá muita importância – louco estas, deveria conferir a nossa categoria de posts de gastronomia, garanto que é um entretenimento por si só! 😉 

Preparamos um post de dar água na boca, literalmente!!🍰🍰🍰 

E como neste blog apostamos na liberdade de escolha. Te damos as opções e você se estraga sozinho. Brincadeiras à parte, vamos listar e falar um pouco sobre aquelas sobremesas portuguesas para servir após aquele jantar de família. 

P.s: Fica de olho no decorrer do post, iremos compartilhar links com cupons de descontos e dicas extras para gastar menos com nosso Let’s Eat (promoções selecionadas) para quem quiser aproveitar mais este tema. 😉

Se preferir você pode conferir o menu e ir direto para o tópico desejado, confere só:

A CULINÁRIA PORTUGUESA 

Que espécie de blog seria esse, se não fossemos a fundo e trouxéssemos informações valiosas e detalhadas para os nossos leitores? (Seríamos um site de fofoca, talvez…)

Aqui vão  informações e dicas da nossa mais recente descoberta sobre a culinária portuguesa, o livro : The new Portuguese Table: Exciting Flavors from Europe’s Western Coast. Neste livro o autor David Leite, retrata a culinária portuguesa em detalhes, munindo o leitor com as principais informações, desde os ingredientes mais comuns nos pratos portugueses até as principais dicas gastronômicas por região. 

E claro, o livro também tem receitas incríveis.

Agora, que tal descobrir algumas dicas sobre as principais experiências gastronômicas, em algumas das principais regiões de Portugal? Você leu bem, vamos por região. 😀 

Região do Minho

Para ilustrar bem o que representa essa região, bora colocar alguns icons fundamentais nesse mapa que você está idealizando na sua cabeça ao ler este texto, para contextualizar a gastronomia na região do Minho em Portugal.

A região do Minho está localizada entre o rio Minho ao norte o qual é bem próximo a divisa entre Portugal e Espanha, logo ao sul, podemos encontrar o Rio Douro. A lógica disso tudo?! O Clima. Por lá, você poderá aproveitar um clima ameno com temperaturas variando entre 12 ° C e 23 ° C, brisa fresca mas também uma boa quantidade de chuva. 

Confere só essa paisagem de um dos concelhos do Minho do canal Amar o Minho. Além de comer bem, vai ficar de cara com as belezas naturais por lá!

https://www.instagram.com/reel/Crae7DAtSwx/?igshid=M3F3bDU4ZmtyeDI3

Traduzindo isso para as especialidades gastronômicas dessa região devido a produção agropecuária, facilmente você poderá encontrar alguns comes e bebes específicos. 

Confere só! Aproveite para anotar a dica e pedir no seu restaurante predileto esses pratos que são de Lamber os beiços.

Caldo Verde: Purê de sopa de batata e cebola com lascas de couve e linguiça.

Rojões: Carne de porco, meu querido. Se você gosta de carne de porco bem temperada e crocante, vale experimentar. O prato é servido com carne de porco ou barriga de porco cortado em cubos e frita, com a adição de cravo e cominho como um toque especial.

Broa de milho: É bom, chega a salivar a boca. Aproveite o turismo no Minho e experimente lá em uma cafeteria típica. Já sabe né, é um pãozinho de milho fresquinho, vai bem com um café coado na hora 😉

Sopa dourada: De sopa não têm nada,ok?! Sopa dourada é uma sobremesas portuguesa tradicional da região do Minho, geralmente, não falta nas ceias de natal de muitos lares portugueses. Para descrevê-las, podemos dizer que lembra camadas de um bolo delicado de esponja coberto com gemas adoçadas e espessas. 

Descrever não é tão divertido quanto provar, se tu gosta de doce, dá uma chance e depois conta para a gente!

Por último e não menos importante, temos um prato especial de carnaval…

Cozido à Portuguesa: Eita, você é daqueles comedores que gosta de tudo que tem carne? Se for esse prato é para você! Cozido à portuguesa é um prato com carnes cozidas (porco, frango, boi e até chouriço) com a adição de batata e repolho (só para dizer que você não é um carnívoro por completo tem legume no cozido). 😋

Para beber, não esqueça da especialidade da região, tá?! 

Por lá o Vinho Verde é famoso e propício para o clima do Minho. Se quiser aproveitar para turistar e apreciar o vinho direto da fonte, você poderá encontrar na Adega Monção, Anselmo Mendes, Casa de Vila Verde e Quinta da Aveleda.

Região trás-os-Montes e Alto Douro

Trás os montes, como o próprio nome já diz é uma região atrás das “montanhas”, o que seria as famosas Serras ao nordeste de Portugal: Marão, Gerês e Alvão. Essas características específicas, já trazem uma mudança no cenário do clima e vegetação, ao invés de clima fresco como a presença de vinícolas no Minho, ajustamos para um cenário com floresta densa, coberta por charneca de urze e ideais para rebanhos resistentes como ovelhas, cabras e porcos. ( Neste caso a agropecuária reina por ali)

Do alto Douro nem preciso falar certo, o Douro por si só tem a fama que reverbera pelos 4 cantos da terra é uma das regiões mais caras para se conseguir uma “terrinha” para se comprar e certamente com toda a razão. 

Por lá a região é uma das mais famosas pela produção de uvas sofisticadas para a produção de vinho.

Curiosidade: Douro foi umas das primeiras regiões em Portugal demarcada lá em 1756 como um modelo para a indústria do vinho. Já sabe né?! Vale uma visita especial nas vinícolas da região.

Agora, vamos passar para as dicas específicas dessa região? Confere, só:

Presunto: Portugal lá também é considerado o país da carne, então, o presunto não podia faltar, principalmente, o presunto defumado das cidades de Chaves e Lamego. 

Creamy Monte Cheese

Feijoada: É de comer rezando, como se diz vovó. Esse prato é popular entre os brasileiros , mas também entre os Portugueses. Basicamente, a receita compreende em um ensopado de feijão com diferentes partes da carne de porco, muitas vezes servido acompanhado de arroz, couve, farinha temperada e vinagrete. Há aqueles que adicionam algumas fatias de laranja para acompanhar. Sou suspeita para falar é um prato saboroso mas também remete a memórias afetivas da infância. 🥰

Sopa de castanhas: É uma receita comum? Não. Sopa de castanhas é bem típica da região de Trás-os-Montes. Dizem ser cremosa e saborosa.

Toucinho do Céu: Esse prato já é considerado uma das sobremesas portuguesas mais confusas e certamente curiosa. Dizem as más línguas, que essa foi uma receita criada nos conventos por freiras que foram isoladas no mosteiro em Murça. Quanto ao segredo do nome, se deve a receita usar banha de porco ao invés de manteiga, mas fora isso, as sobremesas portuguesas típica da região é feita a base de açúcar, amêndoas e gemas.

Para beber…Portugal é a terra do Vinho, por assim dizer. E neste caso, temos a região do Douro que é responsável pela matéria prima principal de vários tipos de vinhos produzidos em Portugal: as uvas. Então vale a pena conferir os vinhos da região, como: Casa  Ferreirinha, Lemos e Van Zeller, Niepoort, Quinta da Carolina, Quinta do Crasto, Quinta do Noval.

Região Douro Litoral

Ah o Douro Litoral ( Suspiros lembrando do Vinho do Porto)

É meu querido, o spoiller veio logo na primeira frase, isso porque faz todo o sentido, a região Douro litoral  tem como a estrela dessa região a segunda maior cidade de Portugal, o Porto.

Cidade do Porto - sobremesas portuguesas - BVML

A qual tem tudo a ver com esse tema de comes e bebes deste post,  já que o Porto é responsável por um dos vinhos mais famosos ao redor do mundo, o Vinho do Porto.

Mas nem só de vinho vive o homem, certo?!

 Nem o homem nem a região do Douro. Por lá o clima também é favorável para outras plantações e você poderá encontrar de acordo com a época do ano, algumas quintas com árvores curvadas pesadamente com pêssegos, ameixas, marmelos, maças, amêndoas, peras e figos

E claro, com a diversidade nas plantações, a parte gastronômica do Douro Litoral está altamente relacionada com a colheita e as receitas. Confere só:

Tripas à moda do Porto: Uma caçarola recheada de carnes cozida lentamente com feijões, vegetais e uma boa dose de cominho.

Bacalhau à Gomes de Sá: Já falamos por aqui que Portugal é a terra dos Vinhos, porém, também vale para bacalhau certo?! Se você está fazendo uma escala em Portugal, passe em um restaurante e come lá o seu bacalhau com um bom vinho. Já vai sentir o gostinho da tradição da culinária Portuguesa em uma refeição rápida. Quanto ao bacalhau à Gomes de Sá você pode esperar uma caçarola de batatas com cebola, azeitonas pretas, fatias de ovos cozidos e o tradicional bacalhau Português assado e bem temperado.

Pasteis de Bacalhau: Para o brasileiro, os pasteis de Bacalhau também são conhecido como Bolinho de bacalhau e também é bem popular entre os apreciadores de “Comidas de Boteco” é um aperitivo bem saboroso para comer junto com uma cervejinha com os amigos. Basicamente, os ingredientes principais da receita são bacalhau e batatas.

Bolo de amêndoa: Já sabíamos lá que vinha algo, fruto do trabalho das plantações na região do Douro litoral e neste caso, o bolo de amêndoas foi o escolhido. Opção perfeita para uma refeição no fim de tarde em um café da região.

Para beber, claramente, a presença do vinho do porto é uma opção certeira para o turista adepto a bebidas alcoólicas. Para facilitar a sua busca você pode procurar pelos produtores: A. A. Ferreira, Calem e Filho, Croft, Delaforce, Fonseca, Graham, Niepoort, Quinta do Noval.

Dentre as opções de vinho do Porto, vale experimentar os tipos: Port primer, Vintage Port, Tawny Port, Ruby Port e White Port.

Let’s travel and…eat!___________________________________

Brown Simple Elegant Minimalist Digital Crafts Etsy Shop Icon

Passagens Portugal e Europa a partir de

€ 2.99

Lavinia 2

Vinhos Portugueses a partir de

€ 10,40

Civitatis 1

Free tour na região do Porto

GRATUITO

bodeboca

Vinhos Portugueses a partir de

€ 6,50

Região Beira Litoral, Beira Baixa e Beira Alta

Conhecido como a região de Beiras e representando parte do território da região do Centro de Portugal, em tamanho perdendo apenas para o vasto Alentejo, o território das Beiras está localizado ao leste das montanhas adjacentes à Espanha e ao oeste do Atlântico. 

Só pelo nome você pode imaginar com o que a região está atrelada, não é?!

 Serras, umas tantas altas outras baixas. Dentre elas, nessa região temos a Serra da Estrela que está a 1993 metros de altura e para o nosso tema, lembra -nos dos famosos queijos da serra da estrela.

Aproveita que tem conteúdo por aqui da Serra da estrela, para planejar sua próxima trip. Por enquanto, tem esse reels incrível da Naturtrip.pt para vocês se apaixonarem pela Serra da Estrela.

Além dos queijos e das famosas maçãs da montanha, nessa região você poderá encontrar outros pratos e culinária típica, confere só:

Queijos: Isso mesmo, queijos no plural. Nessa região há uma grande variedade de produtores de diferentes cidades, as quais deixaram sua marca na gastronomia. O queijo da Serra da estrela é feito com leite ovino, assim, como o feito em Castelo Branco mas cada produtor tem lá o seu segredo. E um pedaço de queijo com café tem lá seu lugar no fim de tarde, não é?!

Requeijão: Das variações do laticínio, onde há leite há vários produtos derivados e por lá você poderá saborear um requeijão macio e similar a uma ricota.

Cabrito Assado, leitão e torresmos: Carne meus caros. Portugal e suas carnes, por lá facilmente você encontrará receitas variadas com leitão ou carne de porco, além do cabrito.

Para beber, vinhos! Sorte a nossa que a variedade de vinhos em Portugal é bem extensa, a probabilidade de você viajar para diferentes regiões em Portugal e sempre experimentar um tipo de vinho novo ou diferente do destino anterior é bem grande. 

Para quem quer experimentar os vinhos típicos da região pode procurar pelos vinhos desenvolvidos por:

Adega cooperativa de Cantanhede, Adega cooperativa de Mealhada, Álvaro castro, Campolargo, casa de santar, Caves São João, Companhia das Quintas, Filipa Pato, Quinta de Cabriz.

Região de Estremadura

A região da estremadura, traduzindo para o português claro, podemos dizer que é a região das “bordas” do “limite”, pelo menos na história em uns bons anos atrás foi considerada a região  extremo sul da fronteira de Cristandade. 

Dá um Google aí se tiver interessado na história, que por aqui, já já chegamos na comida da região…

Por agora, podemos descrever e localizar a região de estremadura como uma longa e sinuosa costa com praias arenosas a oeste e penhascos escarpados ao sul. Traduzindo isso para a linguagem dos apreciadores de gastronomia local, temos os famosos pratos “sea food” ou comida com frutos do mar, fica a seu critério como nomeá-los.

Ainda assim, você poderá procurar alguns pratos bem típicos servidos na região de Estremadura, são eles:

Sopa de Mariscos e Caldeirada de Peixe

Bacalhau à Brás: Mais Bacalhau, porque Portugal pede e entrega várias receitas com bacalhau, inclusive, tem um post bem completo por aqui se você estiver curioso para saber mais sobre Portugal, bacalhau e receitas. 

Açorda de Marisco: Uma espécie de Sopa recheada de frutos do mar, para quem gosta é um prato cheio.

Frango com Piri Piri: Frango grelhado com molho apimentado de Portugal. 😋

Pasteis de Belém: Dúvido você nunca ter ouvido sequer falar nessa belezinha açucarada, o pastel de Belém é um doce bem típico da culinária Portuguesa e bem popular entre os turistas.

Queijo de Azeitão: Um queijo parcialmente macio com tons amanteigados.

Para beber, você pode procurar por produtores locais de vinhos, ou restaurantes que possua na carta deles vinhos dos seguintes fabricantes: Casa santos Lima, Caves Velhas, Companhia Agrícola do Sanguinhal, Quinta de Chocapalha, Quinta da Cortezia, Quinta de Pancas

Região Ribatejo

Situado bem no meio do país,a noroeste de Lisboa, a região do Ribatejo se espalha no decorrer do rio Tejo dividindo o terreno e a agricultura.

 Ao norte você poderá encontrar colinas baixas com destaque para plantações de olivais com produçòes de  excelentes óleos, mas também, poderá encontrar uma variada gama de plantações de outros vegetais como o feijão, milho, tomate, pimentão verde além de pomares de maçãs e limões.

Com uma produção variada de vegetais, podemos esperar uma gastronomia bem ampla, ainda assim, tem alguns pratos que são carros chefes na região, são eles:

Sopa de pedra: O nome é um tanto quanto estranho, mas não leve ao pé da letra. A receita de Sopa de Pedra contém ingredientes típicos de Portugal, como costelas de porco, salsicha, feijão, vegetais de raiz e repolho.

Enguias: Fritas ou assadas são opções comumente apreciadas na região.

Açorda de sável: Uma sopa de pão feita com ovas de sável.

Arroz de tomate: Fácil e saboroso não tem erro, se você gosta de arroz e tomate, pode pedir. É um prato típico Português e inclusivo, já que os veganos e vegetarianos também podem apreciar este prato. 

Lebrada: Um guisado de lebre regado ao vinho tinto (Socorro, meu paladar infantil não permite ceder comentários) 

Pão de ló: Pão de ló você já deve ter experimentado por aí,  a receita é bem popular entre as confeiteiras que utilizam frequentemente a receita para fazer os famosos bolos de aniversário.

Quanto ao que beber, você poderá buscar por produções de vinhos da Casa Cadaval, Falua Sociedade de Vinhos S.A., João Portugal Ramos, quintal da Casal Branco, Quinta do Falcão, Quinta da Lagoalva e Pinhal da Torre

Região Alto Alentejo e baixo Alentejo

Não é qualquer região. A região Alto Alentejo e baixo Alentejo, representa quase um terço de Portugal e tratando-se da parte da agricultura a região tem predominância da agroindústria de grãos (trigo, centeio, aveia e cevada), além dos sucos famosos de laranja, ameixa verde e damasco.

Dentre as demais opções gastronômicas para experimentar em restaurantes típicos na região, você poderá encontrar:

  • Gaspacho
  • Açorda Alentejana
  • Empadas de Galinha
  • Carne de Porco à Alentejana
  • Migas

Quanto ao que beber, você poderá buscar por produções de vinhos da Adega cooperativa de Borba, Caves Aliança, Cortes de cima, Eugénio de Almeida, Herdade da Calada, Herdade d Malhadinha Nova, Herdade do Esporão, Quinta do Carmo, Quinta do Mouro.

Região Algarve

Se for para descrever Algarve e dizer o que podemos associar à região de Algarve, acho que todos vamos concordar que a região de Algarve é a cara do verão Europeu. 

É bem um lugar abençoado por Deus e bonito por natureza como se diz a música, são milhas de praias com areia branca e uma imensidão de mar azul além de umas tantas grutas secretas na região. 

A vibe do Algarve é bem esse reels… Praia, mar e muita beleza natural!

Por ser tão popular entre os turistas, que por sinal são de todas as nacionalidades, você poderá encontrar comidas típicas tradicionais de outras culturas mas, calma lá, não há restaurantes com estrelas Michelin a cada esquina nesta região.

Por lá, também haverá empreendedores na área culinária, mais afastado do pólo turístico, com um menu à la português com ingredientes bem comuns na região e em todo Portugal, arroz, amêndoas, laranjas, limões, figos e claro não poderia faltar, todo e qualquer criatura do mar. ( P.s: Os portugueses são bem criativos na cozinha, espere por pratos diferentes.)

Ainda assim, há aqueles pratos que provavelmente é bem popular entre os portugueses nativos da região e muito provavelmente você encontrará em diversos estabelecimentos durante sua estádia, são eles:

Sardinhas assadas e Polvo frito : Frutos do mar, meu caro. Na beira da praia para comer como “tira gosto” e beber com um bom coquetel já muda o mood do rolê.  (Gosto de uma picanha mas, a região litorânea pede frutos do mar, certo?!)

Lulas Recheadas: Nunca comi a tradicional, quem dirá recheada mas, quando se é turista vale pensar… É um  prato popular, logo, há algo ali para você descobrir e quem sabe gostar. Experimenta lá vai, e volta aqui para contar!

Búzios com Feijão: Podemos chamar de uma feijoada de frutos do mar?! Talvez.  Contaremos os ingredientes e você faça suas escolhas, fechado?! Molusco, Ostra, Caracol e feijão ensopado. 😁

Amêijoas na Cataplana: Amêijoas e salsicha apimentada cozidas na cataplana.

Caldeirada: Fora de frutos do mar, só encontramos uma salsicha perdida no texto aí para cima, na região de Algarve os pratos comuns e típicos são bem “Sea food”, mas vale experimentar a culinária local, certo?! Por isso a caldeirada pode ser um bom prato. É local, feito com pescados de peixes frescos da região, bem temperado com alho e cebola e tem batatas para completar o prato.

Figos cheios: Para a sobremesa, não esqueça de pedir um figo cheio com amêndoas!

Região Madeira

Chegamos por aqui em outro paraíso de Portugal, a ilha da Madeira. 

Descoberta lá em 1424 com clima subtropical com brisas frescas graças ao oceano, a região da Madeira  também é considerada a terra que tudo dá, tem banana, manga,cana de açúcar e até vulcões antigos. 😂 (rindo de nervoso)

Quando dizemos que tudo dá, podemos estender o significado para as florestas densas, claro, região da madeira… Florestas densas… É tem bastante madeira kkkkk. E isso é um bom sinal, é um lugar com belezas naturais, há algumas ilhas ao redor mais rústicas também para se explorar.

Saindo de uma conversa sobre belezas naturais que com toda a certeza a região da madeira entrega e partindo para a parte mais saborosa da região, podemos dizer que há fama nos queijos da região, assim como, o fruto abacaxi o qual dizem ser bem saboroso.

Agora, se você está de viagem marcada para a região da Madeira e quer saber o que pedir, aqui vai alguns pratos típicos para você colocar na lista do que vai experimentar, confere só:

Cebolinhas de Escabeche: Cebolas em conserva (É bom? É. Só cuidado com o bafinho no pós viu?!)

Milho Frito

Espada: Nada de espadas de samurai, nosso mood hoje são comidas, a espada por aqui trata-se do peixe espada, certo?!

Carne de vinha d’alhos: Carne de porco picada em cubos e bem temperada, ao molho de vinho com alho e servida com pedaços de pão e laranjas. 🤤

Espetada: É o espeto de carne assado em churrasqueira ‘a lá’ Portugal. Não tem erro.

Bolo de caco: Rodelas de pão feitas com batata doce

Bolo de Mel: Bolo de melaço

Favas ricas: Bem popular nos Açores, as favas ricas são um prato de guisado de favas temperado com canela.

Tem mais pratos típicos de cada região?! Tem.

 A gastronomia de Portugal é bem ampla e criativa, provavelmente, você encontrará comidas e bebidas para todos os paladares. Por isso, aconselhamos você leitor, dê um google aí e pesquise mais sobre a região que você irá visitar, ou quem sabe, você será aquele que se aventura na cozinha. 

Se este for o caso, vale a leitura do livro The new Portuguese Table: Exciting Flavors from Europe’s Western Coast.

Além das dicas sobre o que comer e beber em cada região, você também poderá encontrar receitas e até mesmo detalhes sobre os ingredientes típicos de Portugal.

P.s: Nós lemos o livro queridos. Somos fifis mas também somos nerds apreciadoras de um bom conteúdo.

Para adoçar este post, fomos atrás das sobremesas portuguesas mais populares nos lares portugueses para você replicar as receitas em casa ou quem sabe, pedir em seu restaurante predileto. Bora descobrir com a gente, quais são?

As 10 sobremesas portuguesas mais populares!

Uiii, agora vai. Nesta lista eu tenho as minhas favoritas mas há gosto para tudo. Como tudo na vida, claro. Vamos a lista começando por uma das minhas preferidas…

Baba de Camelo 

Reza a lenda, verdadeira ou não, que uma senhora chamada Valentina ( viu alecrim dourado? Não é coisa de milenium ou geração Z chamar Valentina), precisou receber visitas esfomeadas dentro de casa e não tinha muito tempo nem muitos ingredientes. 

Na esperança de que alguns chatonildos não quisessem experimentar e sobrasse mais comida, apelidou a sobremesa de Baba de camelo. Alguns realmente acharam estranho e não quiseram comer, mas outros sem noção – Tipo nós desse blog, comeram e repetiram.

Adiantou nada! Sempre tem um…

Basicamente, essa sobremesa é um mousse de Doce de Leite. A receita leva ovos (tudo em Portugal leva ovo – Essa frase não é sobre ovos…), leite condensado cozido ou doce de leite e amêndoa moída. 

Farófias

Fa o que? É, foi essa a minha reação quando eu conheci essa sobremesa. Pesquisei sobre a origem dessa receita e não encontrei nada assim muito concreto. Acho que isso é algo comum em muita coisa – Não sabemos a origem real de nada. Mas em Portugal, ouvi dizer que existe uma receita preparada de forma parecida no Convento de Nossa Senhora da Conceição, de Loulé, e que é chamada de “Nuvens”.

Na França também há uma coisa parecida chamada de Isles Flotantes, ou melhor, ilhas flutuantes inspiradas nas ilhas desse mesmo belíssimo país. Prometo falar mais sobre ele em breve, porque o que não faltam são opções gastronômicas. 

Também já ouvi uma versão de Oeufs à la neige, também em francês. Fim ao cabo vai dar ao mesmo ( ouço o chef, pasteleiro ou cozinheiro a gritarem com essa minha frase! 😀)

Num dos livros clássicos da gastronomia, chamado Tratado completo de Cozinha e de Copa, de 1904 de um autor chamado Carlos Bento da Maia, foi onde apareceu o primeiro registo com o modo de preparo idêntico ao que temos hoje em dia. 

Nós respeitamos a tradição e os processos, mas cada cozinheiro dá um toque, um sabor e um bocado de amor. Por isso não se espante se encontrar uma receita não tão tradicional assim.

https://www.teleculinaria.pt/receitas/farofias-tradicionais/

Não existe um lugar específico para comer farófias, já que elas fazem parte da categoria sobremesas portuguesas na carta, vulgo menu, mas, o restaurante Cantinho da Adanaia é conhecido na região da grande Lisboa por sua qualidade. 


Sejam nas refeições principais e salgadas, seja na sobremesa de farófias. E não sou eu que digo, são os usuários do Tripadvisor. E eu também!

cantinho da adanaia - Sobremesas portuguesas - BVML
Review Cantinho da Adanaia
Review tripadvisor - Sobremesas portuguesas - BVML
Comentários Cantinho da Adanaia

Pudim de Ovo 

Quem nunca comeu um Pudim que atire a primeira pedra. 

E adivinhem? Essa receita leva ovo também. (Portugal sendo Portugal!)

O Pudim, conhecido assim no Brasil, é uma receita que nós brasileiros herdamos da culinária portuguesa, assim como muitas outras receitas e combinações. Também pode ser o Pudim de Leite condensado, mas já leva uma dose extra de intensidade e açúcar. 

 Algumas receitas mais rapidinhas com cara de inovação do mercado alimentar, tem saquetas prontas para fazer um Pudim Flan, que também é bem equivalente. Há quem chame de Pudim de Banho-maria. Esse nome associo muito a minha avó, lembro dela fazer pudim assim em banho maria para os jantares de natal. Todo o tempo de espera era um sofrimento e ainda tinha que comer a comida salgada primeira.

E pasmem, o pudim tem história. Senta que lá vem…

Flan, do francês significa bolo ou objeto plano, e a receita do pudim remete ao império Romano  e já foi chamado até de tyropatina. Parece até nome de remédio controlado! 

Rola até derivações e acompanhamentos. Confere: 

  • No México, Argentina e Uruguai: Ele pode ser acompanhado por Doce de Leite
  • No Brasil e na Venezuela (quesillo) levam leite condensado e cobertura caramelizada de açúcar
  • Chile: Pode levar leite condensado ou marmelada 
  • Cuba e outros países latino: Leva canela em pau para ficar intenso! Há inclusive uma receita muito parecida chamada copa lolita, que pode levar gelado/sorvete de baunilha e em outras variações pode levar coco ou ruim (gosto dessa!)
  • Leche flan nas Filipinas (Atenção, Filipinas!!!) É uma versão mais “pesada” da versão espanhola com mais ovos e mais leite condensado. E o melhor, cozido a vapor. Mesmo característico! 
  • Vietname: bánh caramel, caramen ou kem caramel no Norte e como bánh flan ou kem flan no Sul. Leva caramelo ou café preto!
  • Japão: purin (プリン?) (i.e., “pudim”), ou custard pudding (pudim de custarda). Resumindo, lojão enorme com um monte de versões de pudins embalados. 

Lá em casa: todas as opções quase que em ritmo de over.. hahaha Socorro! 

Também há uma outra parte da história que vai buscar a origem dessa sobremesa lá na Austrália, Inglaterra e primos.  pudding na sua denominação geral! Mas oho, não comecem a meter a conversa aqui na nossa receita com ovos. Ou melhor, a colher… 

Natas do Céu 

Tem bolacha maria, tem canela, leite, outros ingredientes, amor e ovo. Sempre ovo. 

Ele está em todo lado. Hajam galinhas… ou quase isso. 

Nesta altura do texto eu já nem sei a origem da receita, apesar dos passarinhos dizerem que é Portugal. É uma espécie de pavê em camadas ( solta a piadinha vai…) e que leva um creme ( de ovo) por cima. 

Não sou muito fã, confesso mas vale a pena experimentar. 

Quando estava fuçando informações, encontrei um comentário que me chamou atenção: uma dica de onde comer essa sobremesa e sair feliz: Cervejaria Trindade em Lisboa.  

Mousse de oreo

Não tem nada de português nessa conversa e mousse é mousse. Aliás, vale a pena contar os dois caminhos desse samba. 

Vamos começar pela Mousse. Adivinhem a origem dessa receita em sua generalidade? Isso mesmo, se você não falou França está equivocado, mas dizem os passarinhos que é francesa. Mas apesar da história dizer que a mãe da mousse é a França, há registos lá na Roma antiga de uma mistura de mel com vinho que se chamava Muslum e depois com uma derivação latina, Mulsa. 

(Alguém já fez Mel com vinho? Eu quero …)

No francês, mousse, ou seja leve, espumoso mas estável. (Será que eu sou um mousse?). Fora de brincadeiras, a gastronomia é sem dúvida uma mistura de heranças e partilhas. Cada cidade, país ou povo vai aprimorando e usando recursos disponíveis naquele tempo e naquela região. 

No meio dessa conversa toda, devo contar que a mousse de chocolate é das mais famosas do mundo, e é aqui nesse ponto que saltamos para o outro ingrediente chave desta receita, o oreo, o biscoito recheado mais vendido do mundo

Como dizem os sábios, existe bolacha e existe Oreo! (não concordo muito, lá se foi a chance de ser patrocinada. Apesar de gostar, não é minha favorita!)

Encontrei a explicação sobre a Oreo no site funtastyc e gostei tanto da forma que escreveram e da cronologia que vou copiar e com todo prazer dar os louros: 

“São esta “roda” que gostamos de molhar ao leite, desmontar e saborear de todas as formas possíveis. Sensações que remontam ao ano de 1898, ano de surgimento da Nabisco. 

O que quer dizer este nome tão curioso? Este é o acrónimo de National Biscuit Company, uma associação formada por diferentes empresas do setor da pastelaria que surgiu na ilha de Manhattan, em Nova York. Uma aliança que durante os seus primeiros anos entregou produtos como o Hydrox, um bolacha dupla unida por um creme de baunilha e a principal inspiração para aquelas que se tornaram icónicas: as bolachas Oreo. 

Avançamos para o dia 6 de março de 1912, data em que foi vendida a primeira bolacha Oreo numa pastelaria da aldeia de Hoboken, no estado de Nova Jersey. Esta receita de Oreo era uma reinvenção das antigas bolachas Hydrox, apostando em unir duas bolachas de chocolate negro com um creme de recheio.”

Mas tem outra fonte também boa, bem aqui

Uma versão tradicional de Oreo é composta por 29% de creme de baunilha e 71% de biscoito de chocolate. 

Sobremesas portuguesas - Mousse de Oreo

Então meus jovens, é isso. Oreo e mousse, Mousse de Oreo. E o mais engraçado? A bolacha Oreo tem diversas variações. Até dá para fazer um Twist nessa brincadeira. 

Separei aqui algumas sugestões de receitas para vocês não reclamarem que a gente faz as coisas pela metade.

Serradura

A Serradura me faz lembrar das Natas do Céu, com menos ovo. É quase isso!

Basicamente esta receita leva natas,vulgo creme de leite e leite condesado para o creme. E a outra camada é feita de bolacha maria, outro ingrediente muito comum também na culinária portuguesa. 

Mete camada. Creme, bolacha, bolacha creme. O sócio é que manda. Levar ao frio e comer com cafézinho quentinho. Meu lado mineira misturado ao meu lado portuguesa. 

Como eu sei que você se perguntou o porque o nome Serradura, o que encontrei de lógico (porque teorias doidas há aos montes) é que o nome foi dado devida a camada de bolacha maria que amassada e bem triturada parece efetivamente a serradura da madeira. 

Faz mais sentido, né? As versões diferentes, as decorações e as firulas são por conta do chef pasteleiro.

Bolo de Bolacha

Vamos entrar no mood bolacha maria agora. Ovo, bolacha maria… 

Há várias formas de se fazer bolo de bolacha, até porque se levarmos isso à sério bolo pode ser qualquer coisa e bolacha também.

Mas como respeitamos a identidade gastronômica dos país que conhecemos, respeite a receita e faça com bolacha maria e com as dicas tradicionais. Pelo menos uma vez vai. 

Portuguese biscuit cake, é fácil de fazer mas exige mais atenção e alguns passos. 

Até porque, essa receita leva uma das bebidas que eu mais amo nesse mundo, café .

Vamos exemplificar: camadas de bolachas maria, rega com cafezinho, mete camada de creme de manteiga, açúcar e gemas de ovo. E dále camadas até ficar bonito e altinho. 

Agora vem a notícia triste, o bolo de bolacha maria não tem origem portuguesa, apesar de ter incorporado com perfeição a culinária local. 

Dizem – gosto sempre de dizer isso porque há sempre muitas teorias, que em 1874 lá vai pedrinha, um padeiro inglês da Confeitaria Peek Freans, montou a ideia para comemorar o casamento da grã-duquesa Maria Alexandrovana da Rússia com o duque de Edimburgo. 

(Se toda vez que um duque casar surgirem novas receitas assim, que venham os duques…) 

E como boa monarquia, a mesma receita foi usada para o bolo de casamento da Rainha Isabel II e dos príncipes de Gales. É tipo a gente no Brasil a herdar a receita de brigadeiro da avó. (risos). 

Agora os louros do cafezinho para molhar a bolacha, é coisa de português mesmo. A paixão pelo café, trouxe um jeitinho mesmo à tuga. Tá ótimo, até estou imaginando uma versão com rum, conhaquevinho

Mas tem que ser em formato de florzinha ne mesma, porque gente, fica bonito né. 

Molotof

Quase fui bloqueada e banida da internet depois dessa pesquisa. Daqui a pouco tenho o FBI, a CIA e Polícia Judiciária portuguesa à minha porta. Eu pesquisei muitooooooooo esse termo e caso vocês não se lembrem, existe um artefato perigoso com esse nome. Atenção CIA, é para comer! Somos do bem e só queremos comer nessa vida. 

Mas só para perceberem, a palavra proíbida acaba em V e a da receita em F… Enfim, vamos ao motivo real desse tópico, sobremesa. 

Para mim sobremesa Molotof é pudim fofão aerado e alto. Como assim, Sabrina? Vê a receita. Ele vai crescer no forno, ficar fofinho e pelo visto gostoso. Eu não sou fã, mas digo sempre para experimentar. Gosto é igual… 

Arroz Doce 

Das melhores heranças que nós brasileiros recebemos. Arroz doce é tipo… solução para qualquer fim de relacionamento. Peço desculpa para quem não gosta, mas eu amo. 

E quando eu jogo aquela canela em pó por cima… Meus problemas desaparecem. 😂

Pelo menos por uns minutos. 

E para melhorar, eu associo arroz doce a festa junina. Pula fugueira aiai, ioio… e vira quentão. 

O arroz doce foi relatado até em livos sobre a vida do BUDA, pasmem do Buda. O buda mesmo do Nepal. 

Brincadeiras à parte, o arroz é um ingrediente clássico, disseminado e usual em culturas da A a Z, de norte a sul, de leste ao oeste do mundo. 

Do que andei a pesquisar, a origem desta sobremesa remete para a Pérsia antiga, onde o mel era cozido com mel. Há também histórias que contam de práticas de preparo do arroz na Ásia, com destaque para a índia. 

Importante é comer. Vou deixar aqui algumas dicas de receitas e inspirações!

Tarte de Amêndoa

Minha sobremesa favorita, forever, ever!  Aquela maravilha crocante, que quebra na boca, as amêndoas a partirem… 🤤

E o melhor, é muito fácil encontrar tartes de amêndoa em Portugal. Seja em padarias, ou em restaurantes. Como sobremesa ou para acompanhar um cafézinho. 

O Flow da origem dessa receita tem várias hipóteses, como tudo nessa vida. Mas uma coisa é fato, a Amendoeira, vulgo árvore, é original do oeste da Ásia e “migrou” para o norte da África.

Rebuscando a história de Portugal, os povos árabes fazem parte do início da história da península ibérica como um todo, então nada mais normal do que heranças gastronômicas serem herdadas. E a cultura árabe tem sim coisas muito boas. Todas tem não é mesmo!?

Em Portugal há uma marca que é uma gracinha, se chama A Tarte

Era uma vez uma amêndoa que sonhava ser tarte. Esse é o lema deles e há várias opções de tarte de amêndoas, inclusive sem glúten e sem lactose.

A tarte - Sobremesas portuguesas - BVML
produtos A Tarte

E tem até um café-restaurante da Marca.

Outra curiosidade engraçada sobre essa marca é que eles tem sorvete de amêndoas. Vulgo gelado. Siiim, sorvete! E é divinal. 

https://www.instagram.com/reel/CsjUd4NAjRi/?utm_source=ig_web_copy_link&igshid=MzRlODBiNWFlZA==

Ufa… Depois de tantas delícias da culinária Portuguesa, salgadas e doces, ainda não acabou tem milhares de pratos a lá portugal para você experimentar, mas como prezamos pela sua saúde 😂, já não indicamos mais nenhuma sobremesa! Gostaram das dicas?

*Ao reservar com um parceiro através dos nossos links recebemos uma pequena comissão. Você não paga nada a mais por isso e ainda ajuda o blog a se manter sempre atualizado com novas dicas de viagem. Obrigada! =)

As melhores soluções para viajar!

➡️🟢Tour gratuito, visitas, ingressos e passeios? Temos!

➡️🟢 Vai de ônibus ou autocarro? Experimente a Flixbus.

➡️🟢 Hospedagem perfeita? Excelentes opções aqui!

➡️🟢 E não se esqueça do Seguro viagem. Em alguns países é obrigatório! ⚠️

“Na realidade, estou interessado em obter um roteriro personalizado.” Entre em contato com a gente 😀 [email protected]

Mais algumas dicas