Seguro Viagem é mesmo necessário?

Então você comprou sua passagem, reservou hotel, elaborou todo seu roteiro e está em contagem regressiva pra chegada do grande dia do embarque. De acordo com seu check-list está tudo dentro dos conformes. Mas não contratou o seguro viagem porque que é opcional? Pelo amor de Deus, não faça isso!

Vou te mostrar que o seguro viagem é um dos itens mais importantes em qualquer viagem e não deve ser menosprezado como de costume.

É muito comum ver as pessoas que estão com viagem marcada perguntarem se é mesmo necessária a contratação do seguro viagem e se elas correm o risco de serem barradas na imigração pela falta do seguro.

No fundo, quando se pensa em seguro viagem, as pessoas geralmente só se preocupam com a questão burocrática.

Se for obrigatório para determinado país, elas contratam. Caso contrário, é melhor guardar o dinheiro para coisas mais importantes.

Não se engane!

A maioria subestima a possibilidade de acontecer algum imprevisto na viagem e sim, eles acontecem.E se esse imprevisto for uma doença ou um acidente, você não terá outra saída, senão procurar um médico, dentista ou hospital.

O problema é que você estará fora do seu país, o que significa que a cobrança de tais serviços será em outra moeda. Na maioria das vezes, essa moeda será mais valorizada que o real brasileiro. E quando te apresentarem a conta, meu filho, aí mesmo é que você infarta.

É muito comum que uma simples visita ao médico custa a bagatela de 100 dólares ou 100 euros. Se você converter para real, verá que talvez seu seguro custaria bem menos que isso.

Sim, já me aconteceu!

Mas Karol já aconteceu algo com você que justificasse a contratação do seguro viagem? Já e não foi só uma vez.

Em Orlando, meu marido passou mal e precisou ficar um dia inteiro internado. Bastou ligar para o seguro, eles me informaram pra que hospital eu deveria levá-lo e pronto.

Quando cheguei lá, foi só apresentar a apólice e não ficamos nem sabendo qual foi o custo. Tudo é tratado diretamente entre o hospital e o seguro. Além disso, ainda fomos reembolsados pelas despesas com medicamento.

Quer mais um exemplo? Em Portugal, eu torci o pé e quase não conseguia andar de tanta dor.

Se você está sem seguro numa hora dessas, a chance de estragar toda a sua viagem é enorme. Você fica sem saber quanto vai precisar gastar, se vai ter dinheiro pra pagar. É uma aflição que não vale a pena passar!

Sem querer ser dramática, conheço casos de pessoas que foram à falência de verdade, porque precisaram de internação por períodos muito longos e não tinham seguro.

Gente, como faz numa hora dessas?? Já pensou ter que vender tudo o que se tem pra pagar despesas de hospital no exterior?

Mas é claro que você, já tendo lido nossas dicas aqui no blog, não precisa passar por isso.

Qual o melhor seguro viagem? Não sei qual é o melhor.

O único que usei quando viajei do Brasil pro exterior foi o da Mondial, que é do grupo Allianz e funcionou perfeitamente bem. Já da Alemanha pro Brasil, usei a Allianz de novo e super deu certo. A marca é grande e bem consolidada no mercado.

Não tenho do que reclamar.

Recomendo que você faça uma pesquisa no site do Reclame Aqui, leia sobre a reputação da empresa que você pretende contratar, como ela costuma lidar com as ocorrências.

É importante que, antes de contratar qualquer serviço, você leia as cláusulas contratuais, veja qual é a cobertura do seguro que contratou e quais são as condições de utilização do serviço.

Vejo muita gente fazendo reclamação sobre serviços que sequer faziam parte da cobertura do seguro.

Por isso, é importante fazer isso com calma e não às pressas na véspera da viagem.

Outra dica: verifique se tem cobertura para dentista, no caso de acidente ou emergência. Se você acha dentista caro no Brasil, é porque ainda não viu os preços em euros!

Outros pontos que considero importante na hora de avaliar o seguro viagem:

  • Valor total da cobertura
  • Reembolso de medicamento
  • Cobertura de custos para acompanhante (passagem, hospedagem)
  • Traslado de corpo (no caso de falecimento)
  • Transferência para um hospital no Brasil, se necessário
  • Cobertura dos custos com a alteração da data da passagem de volta
  • Seguro de vida
  • Seguro da bagagem em caso de extravio (não é primordial, mas pode ser muito útil)
  • Existência de mais de uma forma de comunicar uma emergência (é bom testar os canais fornecidos antes mesmo de viajar) 

Muita atenção pois os seguros não costumam cobrir doenças pre-existentes. Portanto, se esse for o seu caso, entre em contato com a empresa para esclarecer sobre isso.

E se você está indo para qualquer país do Espaço Schengen, saiba que o seguro viagem é obrigatório.

Então se a sua viagem inclui um dos seguintes destinos, não adianta, você tem que fazer o seguro: Portugal, Alemanha, Bélgica, República Checa, Dinamarca, Estónia, Grécia, Espanha, França, Itália, Letónia, Lituânia, Luxemburgo, Hungria, Malta, Países Baixos, Áustria, Polónia, Eslovénia, Eslováquia, Finlândia e Suécia, Islândia, Liechtenstein, Noruega e Suíça.

Uma ferramenta muito útil para a contratação do seguro viagem é o site da Real Seguro Viagem.

Lá é possível fazer uma comparação de preços entre as principais seguradoras do mercado. E caso você não consiga se comunicar com o seguro em caso de necessidade, eles te ajudam a entrar em contato.

Acidentes acontecem e isso é imprevisível.

Principalmente quando vamos a lugares novos e passamos por situações com as quais nosso organismo não está acostumado. Frio intenso, calor intenso, comida e tempero diferentes. Tudo isso pode mexer com você.

E se você pretende praticar alguma atividade mais radical, aí mesmo é que se torna primordial a contratação. Seja precavido e contrate o seu seguro viagem! Você não vai querer acabar com a sua tão sonhada viagem por tão pouco, não é mesmo?

*Ao reservar com um parceiro através dos nossos links recebemos uma pequena comissão. Você não paga nada a mais por isso e ainda ajuda o blog a se manter sempre atualizado com novas dicas de viagem. Obrigada! =)

Quer viajar mais? Cadastre-se aqui e não perca nenhuma dica:

Seguro Viagem é mesmo necessário?

 

Mais algumas dicas