Então você chega numa pracinha e dá de cara com uma catedral gótica, no melhor estilo filme medieval, com aquelas torres altíssimas e pontiagudas e uma fachada imponente.

Olhe ao seu redor. Não deixe escapar esse momento. Você está cercado de prédios coloridos fofos, que parecem ter saído de um conto de fadas. A poucos metros dali, um relógio astronômico de 1410, marca além da hora, a posição do sol e da lua. E não é só: a cada hora cheia, um espetáculo que devia pirar a cabeça do povo daquele tempo. Um marco tecnológico pra época, certamente. Seja bem-vindo a Praga, seja bem-vindo à Cidade Velha.

Quantos dias ficar em Praga?

Essa pergunta é muito relativa e vai depender do seu ritmo de viagem. Eu gosto de fazer as coisas mais devagar.

Fiquei três dias inteiros, sem contar os dias de chegada e saída. Mas, na minha opinião, dois dias inteiros já seriam suficientes. Praga é um cidade relativamente pequena e a maioria dos pontos de interesse ficam próximos uns dos outros

Como chegar em Praga?

Se você estiver partindo de algum país vizinho à República Tcheca, como Alemanha ou Áustria, é possível chegar a Praga facilmente de trem ou ônibus.

A Flixbus tem uma grande oferta de ônibus chegando e saindo de Praga. Mas nem sempre é a empresa mais barata. Pra verificar qual é a opção mais em conta entre dois destinos, recomendo o site GoEuro.

Lá você pode comparar os preços das passagens de trem, ônibus e avião e decidir qual é a melhor pra você. Já pra quem está vindo de outros países da Europa, ou mesmo de fora, o avião é a melhor saída.

Se você está viajando pelo Leste europeu,não deixe de ler este post aqui, que explica todos os detalhes sobre como se locomover entre Praga, Viena e Budapeste.

Onde ficar em Praga?

Como já disse anteriormente, Praga é uma cidade relativamente pequena. E o transporte lá funciona muitíssimo bem. Então, não tem muito erro. O site Viaje na Viagem tem um post super completo sobre os melhores bairros pra se hospedar na cidade.

Encontre agora mesmo seu hotel em Praga

Mas a minha dica é: considerando a facilidade de locomoção, não vejo nenhum empecilho em alugar um apartamento mais afastado do burburinho.

Você pode usar o Airbnb e ainda ganhar R$ 100 de desconto. Ainda não sabe como funciona o Airbnb? Leia aqui nosso post explicando todos os detalhes pra você garantir o melhor preço na sua hospedagem.

Onde eu me hospedei?

Na casa de uma francesa muito gente boa chamada Odile, essa aí da foto acima, que me ofereceu sua casa pelo Couchsurfing.

O apartamento ficava num prédio da era comunista de Praga, então só a hospedagem já foi um evento em si. Fora a companhia da Odile, que ainda nos levou pra jantar no seu bar preferido logo na nossa primeira noite.

No último dia, cozinhamos um jantar de agradecimento e nos fartamos com massa e vinho, ao longo de muito bate papo.

O couchsurfing

É uma rede social onde viajantes do mundo inteiro abrem suas portas para receber gratuitamente outros viajantes.

É um projeto de economia colaborativa, que visa à troca de experiência entre as pessoas. É um projeto maravilhoso e já pude desfrutar disso por quatro vezes. Recomendo muito!

Prometo que farei um post explicando tudo bonitinho sobre isso. Vale muito a pena.

O que fazer em Praga?

Lembra do relógio astronômico que da foto lá de cima? Este será seu ponto de partida para conhecer a cidade.

Como não poderia deixar de ser, minha recomendação é que você comece sua viagem com um free walking tour. Um passeio pela cidade acompanhado de um guia credenciado, a quem você dará uma gorjeta no final no valor que você puder e achar que o guia merece.

Essa pra mim é a opção que garante o melhor custo-benefício, pois você ficará por dentro de toda a história do lugar sem precisar desembolsar muito dinheiro.

O free walking tour de Praga parte da praça da Cidade Velha (Old Town square) e é conduzido pela empresa Sandemans New Europe.

O tour é oferecido tanto em Inglês quanto em Espanhol. Durante o passeio, você vai passar por diversos pontos importantes de Praga como o relógio astronômico, a igreja de São Nicolau, a Filarmônica Tcheca, o bairro judeu, entre outros. O passeio dura cerca de 3 horas, mas não se preocupe: há uma parada para descanso e ida ao banheiro.

Tomando vinho quente pra espantar o frio

Se você não fala Inglês nem Espanhol, não se preocupe! Em Praga há uma empresa especializada em tours em Português. Yeaaahhh!!! O nome da empresa é Falando em Praga Tours.

Descobri por acaso e acabei fazendo o tour do castelo com o David e foi bem legal. Conto mais depois.

Nesse caso, o valor do tour pela Cidade Velha custa 10 euros por pessoa. Eles também atendem pelo whatsapp e o número de contato é +420 731 200 474.

Depois de ter uma ideia geral da cidade, já será mais fácil se localizar por conta própria. Então agora você já pode começar a visitar os monumentos da cidade.

O que é imperdível em Praga:

1 – subida à torre da Prefeitura (aquela onde fica o relógio astronômico).

Lá de cima você terá uma vista em 360 graus de toda a cidade. É lindo demais!

E ao contrario de outras cidades, aqui você não vai precisar subir milhões de degraus, pois a torre tem um elevador! Isso mesmo. Além do elevador, há rampas pra subir, que cansam bem menos que os famigerados degraus.

O ticket custa 250 coroas tchecas para adulto (em 2017), o que equivale a uns 10 euros*. Estudantes abaixo de 26 anos e idosos pagam 150 coroas (cerca de 6 euros). Com o mesmo bilhete, você ainda tem acesso às salas da prefeitura. O espaço é pequeno, em meia hora dá pra ver tudo.

2 – Igreja de São Nicholau 

Existem duas na cidade com o mesmo nome. Uma na Cidade Velha, próximo à torre, e outra no bairro Malá Strana, que fica depois da ponte Carlos. Eu só entrei nessa primeira.

Depois da visita à torre, dá uma passadinha lá. A igreja é pequena e também não vai te tomar muito tempo.

3 – Ponte Carlos

Ao sair da Igreja, siga as placas indicando “Karlův most” (Ponte Carlos em Tcheco).

No caminho repare nos prédios coloridos nos dois lados da rua. Parece que você é transportado pro passado! No final do seu caminho, você vai se deparar com o portal que dá acesso a ponte.

Olhe para a montanha a sua frente e tcharaaam: lá está o castelo de Praga te observando de rabo de olho.

A ponte Carlos é a mais antiga de Praga e começou a ser construída em 1357 e até 1841 era a principal ligação entre a Cidade Velha e o Castelo de Praga. A ponte é super larga (tem 10 metros de largura). Com uma torre em cada ponte, é considerada uma das construções góticas mais impressionantes do mundo! E ainda conta com 30 estátuas ao longo de todo o caminho.

Uma delas é a de Nepomuceno. Reza a lenda que se você tocar nas figuras em relevo que ficam ao pé da estátua, sua volta a Praga estará garantida! Não tem como passar despercebido por ela. Todo mundo para pra tocar. A figura está até lustrada de tanto ser tocada rs.

 

4 – Castelo de Praga 

O ícone da cidade também pode e deve ser visitado.

Construído em 850 d.C., o castelo funcionava inicialmente apenas como moradia. No século XI foi edificada a Catedral de São Vito, com suas imensas torres. Sua construção durou quase 600 anos!  

O Rei Carlos IV se encarregou de expandir a construção e seu filho continuou seu legado. O castelo ficou tão grande, que é considerado uma pequena cidade dentro de Praga.

Para chegar ao castelo, não precisa subir aquele morro todo. Vá até a estação Malostranská (de metrô, pegue a linha verde; de ônibus pegue os bondes 5, 12, 18, 20 e 22) e depois é só pegar o bonde número 22 sentido Bíla Hora. Desça na Pražský hrad. A partir dali, é só ficar de olhos nas placas, nem precisa andar muito.

Eu fiz esse passeio com o David, do Falando em Praga Tours e pagamos 12 euros por pessoa. É legal fazer o tour guiado pra ficar por dentro da história do lugar. Sai pela parte da frente do Castelo e, se for estiver perto de hora cheia, aguarde para assitir a troca de guarda. Mas já adianto que não tem muita graça. Aproveite e admire a vista da cidade lá de cima, que é linda também. Dali dá pra ver a “Torre Eiffel” de Praga. Aposto que você não sabia que Praga também tinha uma né?

5 – Bairro de Malá Strana

Após descer do castelo, você estará no bairro de Malá Strana. Durante a descida, vá observando o caminho, a arquitetura dos prédios…

Nesse bairro, gostaria de destacar dois pontos bacanas. O primeiro deles é a Igreja de Nossa Senhora Vitoriosa, onde se encontra a imagem conhecida como o Menino Jesus de Praga e uma imagem de Nossa Senhora Aparecida, presente de Paulo Coelho quando esteve na cidade. Para os religiosos, acho um bom ponto a ser conhecido.

O segundo ponto que destaco é o muro de John Lennon. Apesar de os Beatles nunca terem pisado em Praga, o muro virou um marco de resistência dos estudantes nos tempos da ditadura. Sua preservação tem como fim a luta pela paz.

6 – Casa dançante

O prédio de arquitetura exótica, chama a atenção pelo contraste. Construído em 1996, o estilo lembra vagamente um casal dançando. E como se sabe, basta um toque diferente pra chamar a atenção dos viajantes de plantão 😀

7 – Museu Kafka

Embora não tenha visitado, o museu é uma ótima opção cultural para os fãs do autor. A entrada custa 200 coroas tchecas (2017), pouco menos de 8 euros.

8 – Andar muito

No mais, ande bastante pelos lugares fora do roteiro e explore a cidade por conta própria. Você vai ver: é uma delícia!

Ficou alguma dúvida? Deixa aqui nos comentários que logo logo nós vamos esclarecer.

*A visita foi realizada a convite da Secretaria de Turismo de Praga, mas todas as opiniões são baseadas exclusivamente em nossas experiências. 

**Ao reservar com um parceiro através dos nossos links recebemos uma pequena comissão. Você não paga nada a mais por isso e ainda ajuda o blog a se manter sempre atualizado com novas dicas de viagem. Obrigada! =)

Quer viajar mais? Cadastre-se aqui e não perca nenhuma dica: