Eu confesso, sumi alguns meses. Silenciei aqui no blog, na vida, no instagram e em muitos outros lugares. Mas te juro que o motivo foi o mais lindo do universo!

Já comecei a chorar e nem me justifiquei. Isso é um bom ou um mal sinal? Então vamos lá deixar de rodeios: Dentro de mim batem dois corações e na minha casa o espaço ficou pequeno pra tanta felicidade.

Sabrina aventureira está “gravidíssima”!

Então um belo dia de verão, debaixo de um sol sufocante da capital Lisboa, descobri que dentro de mim morava um inquilino.

O início da minha gravidez foi muito agitado, eu não estava no melhor estado de saúde do mundo: nem emocional e nem físico!

O que é completamente normal para um mero ser humano mortal como eu, que vive sempre um turbilhão de sensações, uma agitação de vida quase que obrigatória e uma série inacabável de desafios e metas (welcome to my life).

Aquele tapa na cara!

Quando descobri a gravidez, o processo gestacional já estava algumas semanas avançado e mesmo tendo ido ao hospital alguns dias antes, nada foi detectado ( Inquilino engraçadinho). E assim continuei minha vida normal, treinos, correr, abdominal, drinks, alegrias e rock’n roll.

Um início difícil e com risco de aborto. Foi então que eu precisei decidir: Parar tudo, dedicar tempo, amor e cuidados médicos ao meu filhote ou correr o sério risco de perder o bem mais precioso que eu poderia ter ganhado em toda a minha vida.

Óbvio que eu parei tudo, desci do mundo e vim cuidar de mim e do meu inquilino.

Não é um bicho de 7 cabeças, é um bicho de uma só!

A primeira coisa que eu queria dizer para você mulher que está grávida e descobriu recentemente é: Um filho vem por um motivo especial, para te trazer alegria, para renovar as esperanças, para te ensinar a amadurecer, para te obrigar a fazer escolhas ou simplesmente pra te ensinar que o maior e mais puro amor do universo, vem de dentro de você. E não é propriamente do coração!

Outra coisa engraçada é que gravidez não é doença! Não é mesmo, mas eu sofri muito no inicio com dores, medicamentos e com a adaptação do meu corpo.

Minha amiga, deixa eu te contar uma coisa: o mundo romantiza muito a gravidez, mas na verdade é uma etapa que mistura amor, raiva, desprezo, expectativa, medo e uma infinidade de sentimentos.

Seu corpo também estará em constante mudança física. Doi as costas, a barriga, a cabeça…

A mamas crescem e ficam doloridas, algumas  grávidas vomitam, outras só enjoam…

Cada mulher sente a dor e as mudanças da gravidez de uma maneira diferente. Por isso não se compare com ninguém e nem se culpe caso sinta dores o tempo inteiro, vomite o dia todo e não suporte nem sentir o cheiro de alguma coisa ou até de alguém.

Acredite, isso vai passar ( Talvez dali umas semanas, talvez depois do parto).

Fica com medo não!

De mulher para mulher?  Sei que a situação de cada uma de nós é diferente. Algumas são casadas, outras planejaram a gravidez, outras não. Não importa! Acredita em mim, não importa.

Estou em um grupo de grávidas e “tentantes” no whatsapp e pela primeira vez estou convivendo com pessoas que não conheço de lado nenhum, mas que são super bacanas, que estão passando por momentos dos mais diversos e que conseguem ter compaixão pelas dúvidas e medos uma das outras.

E nessa troca de experiências e medos, já ouvi muitas histórias. Entre nós temos mulheres recém separadas, com 15 anos, que engravidaram do ex que traiu, que já sofreram aborto, que já tem outros filhos e que são mamães pela primeira vez.

Algumas com condições financeiras melhores e outras com um pouco menos. Mas acredite, a nossa alegria é encontrar soluções e rir dos nossos dramas e desesperos.

No fim tudo se ajeita e os filhotes, trazem alegria pra seguir em frente e superar tudo.

Sobre o aborto

Esse é um assunto muito delicado e que eu acho muito pessoal.

Embora eu tenha minha opinião e meus valores ligados a minha formação cristã, acredito que toda mulher precisa ter a consciência das consequências de um aborto. E digo isso a nível psicológico e físico.

Em Portugal o aborto é legalizado até as 10 semanas, sendo até a 7a feita de maneira medicamentosa e até as 10 semanas com intervenção cirúrgica.

Antes de tomar essa decisão, pense muito, sente com seu parceiro se for possível, com um familiar, com os seus pais, com um amigo de verdade e conte sobre sua intenção.

Não tome essa decisão sozinha, pelo medo, pelo susto ou pelo desespero. Pense com carinho, não veja obstáculos e saiba que tudo na vida tem solução. Menos a morte!

Promete que pensa com carinho!?!

Roteiro com crianças 

A outra boa novidade disso tudo é que eu vou contar para vocês sobre o meu pré-natal em Portugal, sobre como estou fazendo com as consultas, exames e como farei com parto.

E a chance de aparecerem roteiros com crianças nesse blog, subiram substancialmente.

Se você é gestante e está em Portugal, tem qualquer dúvida que eu possa ajudar, manda um e-mail para mim. Não fica sem informação não, tá bem? Esse é um momento importante e que precisa de cuidados e atenção.

Boa sorte para nós e até já, maternidade, para mim!