Quando se fala em boa gastronomia na Europa, logo vêm à cabeça lugares como França, Itália, Espanha e Portugal. O que poucos sabem, é que é possível comer e beber igualmente bem, pagando muito menos, em Praga, na República Tcheca. Quer saber onde? É o que vou te contar agora!

Café da manhã

Quando se pensa num café tradicional em Praga, o Café Savoy é um clássico na cidade.

Por conta disso, fiz até reserva antecipada pra não deixar a chance passar. Mas no dia agendado, acabei acordando tarde e cheguei lá depois do horário. Resultado: o café estava completamente lotado e nossa fome não nos permitia 30 minutos de espera.

Daí, na malandragem, resolvi dar uma olhada no mapinha que fiz no “My Maps” e verificar se havia algum outro lugar da minha lista que fosse próximo ao Savoy.

E pra minha surpresa e deleite, lá estava o Café Lounge. Instalado num casarão antigo recém reformado, o Lounge serve café da manhã até as 11h. Chegamos lá faltando 5 minutos pra terminar o horário, mas conseguimos nos sentar e deu tudo certo.

O cardápio é bem enxuto, mas garanto que você não vai errar se seguir nossas sugestões. Como não queríamos gastar muito, pedimos o croissant e um chocolate quente pra mim e um suco de laranja pro “maridón”.

Achamos que viria um croissant pra cada, mas depois vimos no cardápio que cada porção vinha com 2 croissants. Pensamos até em cancelar um, mas preferimos deixar como estava. Graças ao bom Deus! Gente, foi simplesmente o MELHOR croissant que já comi na vida.

Extremamente leve, amanteigado na medida certa, nada enjoativo.

Eu simplesmente não consigo descrever aquela massa. Nem os que comi em Paris chegam perto daquele. E depois que acabei de comer o primeiro, me dei conta do porquê de serem servidos dois. É impossível comer só um.

E o melhor: a porção com os dois croissants custa apenas 95 CZK, o equivalente a uns 3.60 euros, e ainda vem acompanhado de 2 geleias e manteiga, que também estavam perfeitas.

O chocolate quente de lá é daqueles mais grossinhos, tipo chocolate derretido, bem denso. E não é muito doce, uma delícia! Custa 65 CZK (ou 2.50 euros).

A princípio isso seria tudo o que comeríamos. Até que eu avistei no cardápio umas tais panquecas com calda de morango, iogurte grego e açúcar de hortelã. Como não experimentar?? E por 110 CZK (mais ou menos 4.20 euros), eis o que recebemos: 

Vocês não estão entendendo! Estava simplesmente divino, sem explicação.

A massa era fofinha e não chapada como a maioria das panquecas por aí. E olha que eu nem sou acostumada a comer panquecas no café da manhã, que é um costume mais norte americano. Mas foi incrível e valeu cada centavo. Pagamos 420 CZK no total.

E olha que nós não tomamos o café propriamente dito, que dizem ser um dos melhores de Praga. 

No verão, o café abre o seu jardim e você pode contemplar seu café da manhã num ambiente ainda mais agradável. E não se esqueça: se quiser ir até lá no final de semana, não deixe de reservar. Reservas podem ser feitas por telefone ou pelo próprio site do café.

Então se você está em dúvida se fica na fila aguardando uma mesa no café Savoy, eu lhe digo: quer começar o dia da melhor forma possível? Vá direto ao Café Lounge.

http://www.cafe-lounge.cz/en/

Plaska 615/8, Praga 150 00, República Tcheca

+420 257 404 020

almoço / lanche rápido

Zephyr Excellent Urban Pub

Durante o free walking tour que fiz no primeiro dia em Praga, tive uma grata surpresa. Como as caminhadas duram muito tempo, os guias costumam ter acordo com algum restaurante na cidade, onde se faz uma parada no meio do passeio pra que a gente possa ir ao banheiro, beber uma água, enfim descansar um pouco.

No caso de Praga, a parada foi bem na hora do almoço num restaurante chamado Zephyr.

Sentamos todo o grupo no segundo andar do restaurante e sobre as mesas havia um menu direcionado para o pessoal do tour.

Desconfiei e achei que talvez não valesse a pena. Mas como estávamos com fome e os valores eram baixos, resolvemos experimentar o primeiro goulash da viagem. E não nos arrependemos.

Goulash é um prato típico originário da Hungria, mas que pode ser encontrado na Áustria, na República Tcheca, na Alemanha. Enfim, nos países do antigo império Austro-húngaro. É feito basicamente com carne de vaca cozida, mas alguns lugares adicionam carne de porco também. 😉

 Pra mim, foi o melhor goulash da viagem. Talvez tenha uma questão afetiva por trás disso, já que o sabor lembrava muito a carne de panela da minha mãe, que eu amo, claro! Mas o dumpling de pão também estava muito bom e caiu muito bem com o caldinho da carne.

Mas atenção: as porções são pequenas. É só pra provar mesmo e não pra encher a barriga. Até porque se você se entupir, não vai ter coragem de levantar pra terminar o passeio. Lucas experimentou a cerveja e também estava excelente (não resisti ao trocadilho).

Quando desci para ir ao banheiro, vi que na cozinha havia uma senhorinha com carinha de vó que sabe cozinhar coisa boa. Talvez ela seja o segredo por trás do goulash. Fiquei com vontade de experimentar o strudel de maçã, mas não deu tempo.

Então fica a dica: se estiver passando por ali ou se estiver no mesmo tour, não precisa ficar com o pé atrás.

Michalska 13, Prague, Czech Republic
605270465

Ainda não sabe onde ficar em Praga? Reserve seu hotel agora mesmo!

Naše maso

Essa é minha dica mega power master pra comer em Praga. O famoso BBB (bom, bonito e barato).

Não estamos falando propriamente de um restaurante. Também não é bar, nem café. Mas que diacho é o Nase Maso, então, Karol? Um açougue!

Mas é claro que não é um açougue qualquer. No espaço funciona uma loja de carnes de excelente qualidade (nada de friboi). Você pode chegar lá, comprar o seu pedaço e ir pra casa preparar. Ou simplesmente pedir que eles preparam na hora a sua carninha.

Mas isso não é tudo. Eles também fazem um bolo de carne que é famosíssimo na cidade inteira. Composto por cerca de 20% de carne de boi, 60% de carne de porco e mais 20% de gordura, não tem como ser ruim né? A porção vem com 3 fatias do bolo, 3 fatias de pão, mostarda e picles. E custa 99 CZK. Tenho certeza que você vai pedir bis.

Na nossa primeira vez no Nase Maso (sim, nós voltamos), pedimos uma porção do bolo de carne e mais um outra porção do prato do dia. É óbvio que eu não me lembro nem como se escreve aquela palavra, mas não se preocupe, por que não estava muito bom. Então não recomendo.

Esse é o prato que não recomendo: a carne estava crua e sem sabor

Mesmo satisfeitos com nosso bolo de carne, ficamos de olho em todos os hambúrgueres que saíam a cada segundo da cozinha, com a carne ainda meio vermelha por dentro. Evidente que teríamos que voltar pra experimentar.

Então, no dia seguinte, após o tour pelo castelo de Praga, acompanhados dos amigos brasileiros que fizemos durante o passeio, voltamos ao Nase Maso.

O pedido já estava na cabeça e fomos direto pro hambúrguer. E pá: acertamos em cheio! Simplesmente maravilhoso. A composição do hambúrguer é muito simples. Só o pão, a carne e se você quiser tem uma versão com queijo (que foi a que pedimos). Mas a carne é tão saborosa e suculento, que não é preciso mais nada. O pão também é super fresco, muito muito bom. 

E por esse manjar dos deuses você pagará somente 175 CZK (ou 6.60 euros aproximadamente).

Com relação ao espaço em si, vá preparado para comer em pé.

O lugar costuma estar sempre cheio e tem só umas três mesinhas com cadeira, além de umas outras três (eu acho) sem lugar pra sentar.

Na hora do almoço as filas costumam ser longas, mas não se assuste. O atendimento é bem rápido. Você faz seu pedido no caixa e ganha um número pelo qual será chamado quando seu pedido estiver pronto.

Para os beberrões de plantão, a cerveja é self-service. Você vai na bica (sim, é isso mesmo) e serve vossa senhoria. Não me pergunte se é refil, por que eu não sei. Mas não custa nada perguntar né? 😉

Naše maso

http://nasemaso.ambi.cz/en/?land_off=1

Dlouhá 39

110 00 Praha 1 – nasemaso@ambi.cz

Telefone: 222 311 378

De Segunda a sábado – de 10h às 21h

Pausa para um café ( ou chocolate quente) da tarde

Bakeshop

A Bakeshop é uma confeitaria tradicional em Praga, com uma variedade enorme de doces e tortas, croissants e coisas do gênero.

Paramos lá por causa do frio. Precisávamos de algo quente. Pedimos dois chocolates, que apesar de estarem bons no sabor, vieram quase frios. Ou seja, não cumpriram o objetivo.

Aproveitamos que já estávamos lá e pedimos um pedaço de torta pra cada. Eu pedi uma de sementes de papoula com ameixa. A semente de papoula é um ingrediente muito comum por lá e você vai encontrar diversos pratos que a utilizam.

O sabor da torta era algo muito diferente do que eu já experimentei. Às vezes parecia uma delícia e às vezes nem tanto. Não sei explicar. Só experimentando mesmo pra saber. Mas acho que não repetiria a mesma torta. Já a do Lucas era de amêndoas e estava uma delícia.

No final das contas, pagamos um pouco mais de 10 euros e achei caro considerando o conjunto. Não sei se voltaria.

https://www.bakeshop.cz/en/

Endereço: Kozí 918/1, 110 00 Staré Město, Chéquia

Telefone: +420 222 316 823

De Segunda a Domingo – de 7h às 21h

Guloseima

Uma vez em Praga, você não pode deixar de experimentar o típico trdelnik, um doce feito com uma massa enrolada num rolete e assada na brasa. Depois de pronto, passa no açúcar com canela e voilá.

Também há as versões recheadas com creme ou nutella. A dica é que você experimente vários, pois há diferença de uma barraca pra outra. Nem todos são bons. Mas tenho que confessar que não achei nada demais. Valeu só pela experiência de provar mesmo.

Jantar de primeira classe

Pastař

Já começo indo direto ao ponto. O Pastař foi o MELHOR restaurante que conhecemos durante toda a nossa viagem pelo Leste europeu.

Mas adianto que não é um lugar de comida típica da República Tcheca. O foco deles é gastronomia italiana com uma pegada mais contemporânea.

É o lugar pra ir se você aprecia um serviço impecável, com um maitre atencioso, que sabe mimar muito bem o cliente.

Pra começo de conversa, fomos recebidos com taças de prosecco. Tá ruim? Tá não. Adoro aquelas bolhinhas fazendo cosquinha na minha boca 😀

O cardápio é enxuto, mas o restaurante ainda conta com o menu do dia. E pra ter certeza de que teríamos a melhor experiência possível, seguimos as recomendações do maitre. Melhor decisão ever!

De início, um amuse bouche (termo em francês que significa literalmente “divertir bocas”). Em restaurantes mais refinados, é comum o chef servir um ou outro amuse bouche de brinde para os clientes se sentirem “especiais” e pra despertar o paladar. Nada mal né? Estava ótimo, mas não me lembro o que era 😀

Então, hora da entrada, que veio super rápido por sinal: Salmão marinado em gin e beterraba, iogurte de manjericão e tartare de manga. Gente, sério! Daqueles pratos que você coloca um pedacinho na boca e tem que fechar os olhos pra saborear. Simplesmente maravilhoso.

O contraste da manga com o manjericão é um sabor novo pra mim e surpreendente. E com relação à beterraba, que eu odeio, posso garantir que não afetou nem um pouco o sabor do salmão. Demoramos séculos pra terminar de comer com pena de acabar kkkk.

Logo em seguida, vieram os dois primeiros pratos. Lucas foi servido com um risoto de aspargo com salmão defumado, gelatina de manga e chips de aspargos.

Estava uma delícia! Mas o meu ravióli estava de comer rezando! Este prato não estava no menu principal. Era uma opção do menu do dia. Então não sei se você irá encontrá-lo novamente. Mas garanto que se você pedir qualquer outro prato não irá se arrepender.

E claro que não parou por aí.

Depois ainda pudemos degustar de mais duas delícias. Pro maridón, polvo grelhado  ao molho de vinho tinto, salada de rúcula e alcachofra grelhada. Pense num manjar dos deuses: simplesmente divino!

E pra mim, peixe grelhado com risoto de cevada e manjericão, no caldo de lagosta. Genteeee, eu não mereço tanto. Mentira, mereço sim!

Pra fechar com chave de ouro, uma seleção de sobremesas caseiras que não decepcionaram.

Além de restaurante, o Pastar também funciona como food shop. Então se você quiser dar uma passadinha lá pra comprar um pão italiano fresco e uns frios pra levar pra casa, não irá se arrepender.

Ah! Dá pra fazer a reserva pela internet. Uma mão na roda pra quem não fala inglês.

Quanto ao valor dos pratos, tudo o que comemos daria uns 60 euros no total. Pela qualidade dos pratos, se o restaurante fosse em Paris, não daria menos de 100 euros (só a título de comparação).

Gostaria de agradecer a toda a equipe do restaurante pelo convite e excelente atendimento. O Pastar definitivamente entrou pra nossa listinha das melhores experiências com comida em viagem.

Dica bônus – Onde não comer em Praga

Caf’é Louvre

Fomos parar lá por recomendacao da nossa host do Couchsurfing, que nos disse que seria mais barato que o Savoy e muito melhor.

O Café Louvre é tradicional em Praga e foi aberto em 1902. Mas tenho que dizer que não volto mais, nem pra dar uma segunda chance.

Pra começar, o atendimento deixa muito a desejar. Fomos lá pra tomar café da manhã. Logo ao chegarmos, o recepcionista nos perguntou se queríamos área de “fumante” ou de “não fumante”.

Dissemos “não fumantes” e fomos levados pra um outro salão, com arquitetura totalmente diferente da tradicional. Ao olhar o cardápio, vi que só tinha opção de almoço. Chamei o garcom e ele me disse que café da manhã era servido apenas no outro salão (o de fumantes). Wtf?

Ok, fomos pro outro salão e ficamos esperando uma mesa, porque estava lotado. Não havia ninguém fumando (que bom!).

Pedimos nosso café da manhã com omelete, croissant e suco de laranja. Pratos bem típicos de café da manhã (ou pelo menos eu acho).

Mas quando o café chegou, minha gente, nada tinha gosto. Decepcao total! Fiquei tão chateada que não consegui comer toda a minha omelete. Pelamor, um café que não consegue fazer uma omelete decente vai fazer o que bem???

A experiência foi péssima e o Lucas concordou. Ou seja, não fui só eu que não gostei. Não volto e não indico pra ninguém.

Barraquinhas de carne de porco na brasa

Essa dica quem me deu foi o Davi, do Falando em Praga Tours. Nessas barracas, eles vendem a carne por peso. O problema é que eles cortam carne demais e o turista fica sem graça de dizer que não quer tudo. Daí acaba pagando mais sem necessidade. Ou seja: é uma opção pega-turista. Caia fora!

*A visita ao restaurante Pastar foi realizada a convite do estabelecimento, mas todas as opiniões são baseadas exclusivamente em nossas experiências. 

**Ao reservar com um parceiro através dos nossos links recebemos uma pequena comissão. Você não paga nada a mais por isso e ainda ajuda o blog a se manter sempre atualizado com novas dicas de viagem. Obrigada! =)

Quer viajar mais? Cadastre-se aqui e não perca nenhuma dica: