O segundo dia em Roma foi dedicado ao tão sonhado Coliseu. A gente queria chegar lá descansado e conhecer sem pressa esse monumento famoso mundialmente.  Mas antes de chegar ao Coliseu, fomos desfrutando do caminho até lá. Primeiro passamos pela Piazza Trilussa, ali mesmo no Trastevere, onde estava rolando uma feirinha de arte. 

E aí fomos andando e admirando a arquitetura da cidade, com suas ruínas espalhadas por todos os cantos.

E foi exatamente isso que fez com que eu me apaixonasse por Roma. A cidade é um museu a céu aberto. Onde quer que você vá, vai encontrar algo que te remonta a um passado bem distante da nossa atual realidade. É incrível mesmo!

Passamos também pelo Circo Máximo, que também foi uma arena antiga e um lugar de entretenimento em Roma. Mas como hoje em dia não há NADA lá, não perca seu tempo. Se for passar por lá pra ir a outro lugar, ok. Mas não dedique seu precioso tempo apenas a esse ponto turístico.

Bom, mas voltando ao Coliseu, como já disse no post do primeiro dia, compre seu ingresso com antecedência.

468x60-Rome-Portugese

 O ingresso dá direito também à entrada no Foro Romano e no Museu do Palatinato. Mas dessa vez deixamos passar esses dois últimos, o que significa que temos motivos de sobra pra voltar :D.

Outra coisa importante: se você não comprou seu ingresso com antecedência, não entre na fila do Coliseu. Como o ingresso é o mesmo, compre na bilheteria do Foro Romano. Enquanto a fila do Coliseu estava dando voltas pra comprar o ingresso, olha só como estava a bilheteria do Foro Romano:

 

#dica: Super recomendo que você alugue o áudio-guia por lá. É possível solicitar o áudio em Português! Assim você entende melhor a história do lugar e aproveita mais a visita 😉

O tempo de duração do áudio guia é de 1 hora e 10 minutos. Isso já dá pra você estimar quanto tempo aproximadamente a sua visita irá durar. Nós levamos entre 2 e 3 horas lá dentro, não lembro muito bem.

No verão, tente chegar o mais cedo possível, pois o calor pode tornar o passeio um caos. Quando você chegar na parte da arena, não haverá sombra. Então já viu né? Solzinho do meio dia na cabeça não é a melhor companhia de viagem dentro de um lugar todo de pedra.

Mas Karol, por que tanto encantamento com esse lugar?? Então, meu povo, o Coliseu não é um dos cartões postais mais famosos da Itália à toa.

O monumento construído entre 72 e 80 d.C era um anfiteatro (o maior já construído até hoje no mundo) que comportava entre 50 mil e 80 mil pessoas. Ali eram realizadas lutas de gladiadores, execuções, caças de animais selvagens (importados da África) e até simulação de batalhas marítimas! Isso mesmo! O Coliseu contava com uma super estrutura que permitia a sua inundação por meio de dutos subterrâneos alimentados por aquedutos que traziam a água de muito longe (e pensar que no Brasil tem tanta gente sem água encanada).

O famoso pão e circo, né?

Enfim, não vou me alongar muito sobre a história do lugar. O fato é que o Coliseu é parada obrigatória quando você estiver em Roma. Acredite em mim!

Visita terminada, barriga roncando, era hora de caçar um lugar pra comer. E dessa vez foi sucesso total!

Não só a comida estava maravilhosa, como pra mim foi a melhor comida caseira que eu já comi na Itália. O Sora Margherita é uma cantina bem pequena localizada no gueto judaico de Roma. Vou falar mais sobre ele no post sobre restaurantes em Roma, mas fica a dica. Se estiver por ali, não deixe de experimentar! Fica aí uma fotinha só pra te matar de vontade porque sou má.

Fettuccini ao Ragu – Restaurante Sora Margherita

E pra completar a melhor comida, só mesmo o melhor sorvete de Roma: San Crispino. Pode acreditar, porque eu fiz o sacrifício de experimentar vários rs e este foi o nosso eleito. Tanto eu quanto Lucas nos apaixonamos.

Eles têm sempre sabores novos e essa combinação mortal aí da foto era moranguinhos silvestres e gengibre com mel. Só de falar me dá uma vontade enorme de voltar pra esse lugar!!!

Sorvete de Gengibre com mel e moranguinhos silvestres na Gelateria San Crispino

Depois de satisfazer os prazeres gastronômicos, a próxima parada foi novamente a Praça de Espanha, onde já tínhamos passado no primeiro dia. Mas dessa vez foi pra fazer o Free Walking Tour, que como contei no post anterior, não conseguimos fazer no primeiro dia.

A guia era bem ruim, pra falar a verdade. Não gostei nem um pouco. Mas dessa vez passamos pela famosa Fontana de Trevi (bem rapidinho), pelo monumento a Vittorio Emanuele II ou Altare della Patria (todo construído em mármore branco e apelidado de bolo de casamento 😀 😀 😀 ) e terminamos no Coliseu novamente. Óbvio que passamos por outros pontos famosos, mas esses foram os principais.

Depois desse dia cheio, voltamos pra casa. Como estávamos destruídos de tanto andar, comemos novamente na Pizzaria Dar Poeta, ali do ladinho da casa em que estávamos no Trastevere, e onde já tínhamos comido no dia em que chegamos do aeroporto.

Comemos de novo lá por várias razões: estávamos muito cansados, a gente tinha adorado a pizza de lá e foi a pizza com melhor custo-benefício que encontramos em Roma. Super indico! E ainda teve uma terceira vez, porque sim! hahaha. Vai uma fotinha do site da pizzaria, porque na hora da fome ninguém lembra de tirar foto né? 

 

Se você tiver alguma dúvida ou sugestão, escreve pra gente aqui embaixo nos comentários!

Quer viajar mais? Cadastre-se aqui e não perca nenhuma dica: